Blog »

A arte de surfar no mundo empresarial

Última Atualização: 15/03/2012 às 18:12:20 por: mario

A ARTE DE SURFAR NO MUNDO EMPRESARIAL
(Carlos Tadeu Viveiro*)

As vezes o mar não está para o surfista, assim como as negociações não estão para o cliente. Por isso, é preciso identificar cada onda como um acontecimento único e especial.

Muitas pessoas ficam surpresas quando associo a arte de surfar com o mundo empresarial, com as vendas e com os mais diferentes tipos de negociações. Mas, como você poderá comprovar, as competências requeridas para ser um profissional de sucesso são as mesmas desenvolvidas por um surfista. Portanto, parodiando Fernando Pessoa, ‘surfar é preciso'. Entre nessa onda e acompanhe o meu raciocínio.

A emoção do surfe está na imprevisibilidade, na surpresa reservada a cada onda. O surfista sabe que o formato da praia, a superfície do mar, as condições de vento e temperatura fazem com que cada onda seja única. Assim são as circunstâncias com as quais nos deparamos em nossos diversos relacionamentos, profissionais e pessoais. Gente e onda não são projetos acabados. Gente está em transformação, o tempo todo. Como as ondas no mar, as pessoas estão diferentes a cada momento, mesmo que sejam sutis diferenças. Cada contato é uma nova experiência que deve ser tratada como um acontecimento único e especial.

O surfista está sempre atento aos movimentos das ondas e às características do mar para garantir o seu melhor posicionamento e abordagem. Da mesma forma, você deve estar atento às mais sutis transformações das pessoas com as quais se relaciona, identificando as oportunidades para satisfazer as necessidades mútuas. Nesse cenário, a atenção e a iniciativa são competências fundamentais para o sucesso.

O surfista, apesar de reconhecer que o mar é mais forte do que ele, não se deixa intimidar e impõe o seu estilo por meio de manobras que contribuem para a sua permanência na onda. Ele também sabe que essas manobras não podem ser feitas aleatoriamente, elas têm que estar em sintonia com o movimento e com a intensidade da onda. A auto estima do surfista deve ser elevada para ele desafiar as ondas e fazer as suas manobras. No entanto, confiança demais pode gerar menosprezo pela onda, prejudicando sua avaliação do risco e, consequentemente, diminuindo as suas chances de sucesso. Portanto, o equilíbrio entre auto estima e humildade é um dos fatores de sucesso tanto no surfe quanto na vida de uma forma geral.

No mundo dos negócios, é preciso que você confie no seu potencial e na sua capacidade de argumentar e influenciar na decisão do cliente (que pode ser o seu patrão, seu sócio, seu parceiro). Também precisa acreditar e valorizar sua empresa e os respectivos produtos e serviços oferecidos. Mas, cuidado!!! Não exagere. Confiança demais pode gerar arrogância e sentimento de superioridade.

O surfista sabe que para ter sucesso não basta ficar em pé sobre a prancha, deixando que a onda determine o melhor caminho. As manobras básicas não o diferenciam dos demais surfistas e não são suficientes para que ele fique o máximo de tempo naquela onda e obtenha o resultado desejado. Mesmo respeitando o mar, o surfista impõe o seu estilo e surpreende com novas manobras radicais. Sai da sua zona de conforto e arrisca. Sem medo, ele rompe as ondas e desafia as leis da física. Segue seus instintos e cria um novo balé sobre as águas.

O que isso tem a ver com você? Tudo!!! Os principais objetivos de qualquer empresa e profissional estão associados à fidelização. A empresa quer manter os seus clientes e seus principais talentos pelo maior tempo possível. O profissional também quer manter o seu emprego. Na era da transitoriedade, esses desejos só se tornarão realidade com muito esforço de inovação e superação. Portanto, saia do lugar comum. Chegue primeiro. Seja um inovador e não apenas um seguidor. Não caia na armadilha das velhas fórmulas vencedoras. Crie as suas próprias manobras.

A determinação em superar-se e criar manobras radicais é algo que o surfista carrega dentro de si, que transcende o ambiente , não importa se está frio ou se está calor. É um estado de espírito que impulsiona o seu potencial criativo com o objetivo de deixar a sua marca, diferenciando-o dos demais, assumindo o seu papel no universo. O ambiente e os possíveis obstáculos são apenas mais um fator a ser considerado.

Reconheço que o ambiente competitivo está cada vez mais adverso e que as condições de trabalho cada vez mais estressantes. Esse é o cenário no qual vivemos - um mar agitadíssimo. Podemos ficar à deriva, à espera de bons ventos e ondas mais calmas, ou podemos fazer a diferença, desenvolvendo os nossos talentos e tomando decisões para influenciar esse cenário e torna-lo mais favorável.

Como qualquer outra atividade profissional, o surfe é uma atividade que requer entusiasmo e tenacidade. Não importam os obstáculos, as quedas e os "caixotes", o surfista pega sua prancha e se posiciona para a conquista da próxima onda. E, ao conquistá-la, comemora e se prepara. Porque sabe que ondas maiores e melhores o esperam.

O que você está esperando? Comece a surfar agora mesmo!


(*) Carlos Tadeu Viviero é engenheiro, professor do MBA da Faculdade de Administração e Economia da USP, conferencista, consultor de empresas e autor dos livros Se Você Quer Você Vende e Como Transformar Defeitos em Virtudes.

MÁRIO HEINEN é psicólogo, pós-graduado em Administração de RH, Dinâmica de Grupo e em Gestão da Qualidade para o Meio Ambiente. Consultor de organizações em Desenvolvimento Humano e Organizacional, RH, Endomarketing, T&D, Qualidade Total, Gestão Ambiental e 'Eco Training'. Ex-professor da UFRGS (Administração), da ULBRA (Psicologia), e ex-Diretor da FAJERS. Sócio Diretor da HEINEN - Parceria em Recursos Humanos.

Compartilhar:

 

< Voltar           Imprimir

Ir à página inicial Notícias Sobre Ecotraining Serviços Parcerias Contato